Estudos de Mercado

Leia aqui estudo sobre o Espumante

Fórum Anual Vinhos de Portugal 2019

Consulte a Agenda Vinhos de Portugal 2019

INFORMAÇÃO AO SECTOR IVV / VINIPORTUGAL

Conheça aqui os Resultados!

Detalhes Notícia

Artigo de Inês Salpico na revista Harpers "Revolução Tranquila do Vinho Português"

Outras Notícias  - Reino Unido 2019-08-14

De acordo com Inês Salpico, cujo artigo foi publicado na revista de vinho inglesa online Harpers , Londres tornou-se mais uma vez o epicentro da cena do vinho natural durante a edição de 2019 da “Real Wine Fair (RWF)” que decorreu no final de Maio.

O evento, organizado pelo importador Les Caves de Pyrene, reuniu 175 produtores unidos por uma abordagem semelhante à vinificação - baixa intervenção, com foco em variedades de uvas autóctones e contando exclusivamente com leveduras nativas - e por um compromisso partilhado com a sustentabilidade.

Inês Salpico diz que uma presença cada vez mais importante, ainda que discreta, foi a comitiva portuguesa que, desde a primeira edição da RWF em 2012, deixou de ser uma curiosidade para ser um esteio com seguidores fiéis e conhecedores.

E refere que teve o privilégio de organizar e acolher, ao lado de Jamie Goode, uma Masterclass sobre a “Revolução Tranquila do Vinho Português”, explorando a natureza (trocadilho intencional) das mudanças que, num período relativamente curto, alteraram a realidade da oferta do vinho de Portugal..

Diz ainda que os produtores portugueses que convidaram para a discussão e cujos vinhos apresentaram incorporam perfeitamente os principais perfis daqueles que actualmente lideram esse movimento.

Leia o artigo completo (em inglês) em: https://harpers.co.uk/news/fullstory.php/aid/25345/Ines_Salpico:_Portugal_92s_quiet_wine_revolution.html

Nota sobre o autor: Inês Salpico é escritora, arquitecta e artista nascida em Lisboa e residente em Londres que refere que, por nascimento e paixão, é uma “pessoa do vinho”. De acordo com as suas próprias palavras: “Com uma paixão pelo pensamento crítico como forma de estar no mundo e arranhando a superfície do óbvio, escrevo regularmente tentando conectar os pontos da complexa realidade em que estamos imersos”